Circuito das Águas Paulista - Pedreira - História

Voltar para página anterior

 HISTÓRIA DA CIDADE

Nos anos de 1.885, o coronel João Pedro de Godoy Moreira possuía a denominada “Fazenda Grande”, que integrava o Município de Amparo. Naquele mesmo ano adquiriu ele, de José Pedro Arruda, um sítio cafeeiro, que fazia parte da Fazenda Santa Ana. O local era servido por um ramal ferroviário da então Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. Faziam parte da família do Coronel João Pedro: Antonio Pedro, José Pedro, Luiz Pedro, Bento Pedro. (O autor do livro “História de Pedreira”, editado em 1.979, Padre Antonio Toloi Stafuzza, em suas pesquisas, encontrou que tais “Pedros” eram irmãos do Coronel, embora anotações anteriores traziam serem filhos. Ficamos com o Padre Stafuzza, em vista das inúmeras fontes por ele pesquisadas).
Resolvendo ele lotear parte de suas propriedades, com o que propiciou o surgimento de um povoado, o local, em vista dos Pedros, passou a ser conhecido como Terra dos Pedros, bairro do Pedros, depois, por derivativo, bairro dos Pedreiras, e por fim Pedreira.
Após esse loteamento, o local passou a progredir: Em 20/08/1890 passou a Distrito Policial: em 22/12/1892, a Distrito de Paz; a Capela Curada de Sant’Ana, em 17/06/1892, sendo o primeiro Cura o Padre Alexandrino Felicíssimo do Rego Barros; e em 31/10/1896, passou a Município.
O primeiro Orago da primeira Capela não foi Sant’Ana, mas o Bom Jesus, cuja imagem foi trazida da França pela família do fundador de Pedreira, Coronel João Pedro.
O município encontra-se encravado na zona Cristalina do Norte do Estado de São Paulo, na Micro Região da Estâncias Hidrominerais Paulistas, tendo por limite Amparo, Campinas Jaguariúna e Morungaba.
Situada a 584 metros de altitude, possui topografia irregular, possuindo inúmeras montanhas e seu solo é fértil.
Clima seco, ligeiramente úmido no inverno, entrecortada pelo Rio Jaguari, já não tão piscoso com outrora, mas ainda majesto em sua beleza, e a oferecer belas ilhas e corredeiras.
Os irmãos Ricci, por volta de 1.916, fazem funcionar a primeira fábrica de louças, a partir da qual inúmeras outras foram surgindo, graças à união de pequenos grupos, constituindo-se na principal economia do Município. O trabalho nessas indústrias foram formando artistas, dedicados à modelagem e à pintura de artísticas peças de adorno e louças para uso doméstico. Hoje, isoladores elétricos abastecem o mercado interno e internacional.
O Município possui, no topo de um dos seus morros, na parte central da cidade, a imagem do Cristo Redentor, demonstrativo da fé do pedreirense. O acesso ao pico é todo calçado com paralelepípedos e, ao longo do seu curso, foram instaladas as 14 Estações da Via Sacra, em painéis de azulejo decorados por artistas pedreirenses, formandos pela lida diária nas cerâmicas locais. Na Semana Santa são organizadas peregrinações, em diferentes horários em que são escaladas diversas comunidades e o acompanhamento do povo, em solene sentido de oração, atesta de modo mais forte, a espiritualidade católica de Pedreira.
As indústrias, na sua grande maioria, têm nome de Santos e Santas da nossa Igreja; no dia da Padroeira Sant’Ana, 26 de julho (feriado municipal), cada indústria ornamenta o andor do seu padroeiro e uma grandiosa procissão tem lugar pelas ruas centrais da cidade. Vale ressaltar que, durante esse mês, várias atividades religiosas são desenvolvidas, inclusive nos recintos fabris, com orações do terço, visitas da imagem de Sant’Ana, etc..
A Paróquia de Santana completou o seu centenário em 1.999, comemorado agora, em janeiro de 2.000, com a inauguração de um monumento defronte à Matriz, contendo os nomes de todos os sacerdotes que por aqui passaram desde o início da sua caminhada.
Sob a direção da Diocese de Amparo, instalada recentemente, desligando-se, pois, de Campinas, Pedreira possui duas paróquias: Sant’Ana e Santo Antonio de Pádua.
Na Paróquia de Sant’Ana são desenvolvidas inúmeras atividades com a participação de leigos: cursos para jovens (T.L.C – Treinamento de Liderança Cristã), para adultos (C.L.C – Curso de Liderança Cristã), E.C.C. – Encontro de Casais com Cristo), o Serra Clube mantém-se nas suas atividades zeladoras pela oração em prol das vocações, além de outras pastorais diversas também vivenciadas.
Em Pedreira funciona o Instituto Vocacional São José (conhecido por “Seminário”); do Município já saíram 5 (cinco) sacerdotes, estando um deles o Monsenhor Nilo Romano Corsi, à frente da direção espiritual da Paróquia Sant’Ana desde 27 de março de 1.955 até hoje.


Circuito das Águas Paulista Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento do Pólo Turístico do Circuito das Águas Paulista
Rua Nossa Senhora do Rosário, s/n - Centro de Convenções Circuito das Águas (Rodovia Serra Negra - Lindóia)
Serra Negra/SP - CEP: 13930-000 - (19) 3892-1015
Desenvolvido por: DIGITATOS